Imagem e Valorização Profissional V
Banner
Photo Photo Photo
Home  //  Notícias  //  Artigos  //  Imagem e Valorização Profissional V
Imagem e Valorização Profissional V
Seg, 10 de Outubro de 2005 00:00

Maria Aparecida de Godoy
CRB8-4048
Bibliotecária e Documentalista
Especialista em Administração
Mestrado em administração (créditos concluídos)
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

Resiliência e qualidade de vida.
De acordo com o dicionário Houaiss (2000), a palavra “resiliência” contempla tanto o sentido físico (propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica) quanto o sentido figurado, remetendo a elementos humanos (capacidade de se recobrar facilmente e se adaptar às mudanças).
Dessa forma, a resiliência é, fundamentalmente, o equilíbrio entre a tensão e a habilidade de lutar, além do aprendizado obtido com obstáculos (sofrimentos) - é a capacidade de atingir outro nível de consciência. Este equilíbrio tem sido objeto de estudos na área da psicologia para discutir e entender a capacidade humana em recuperar-se de sofrimentos físicos e psicológicos.
Durante toda a nossa vida é necessário desenvolvermos a resiliência para conseguirmos ultrapassar as passagens de forma a obter "ganhos" nas diferentes fases: infância, adolescência, juventude, fase adulta e velhice. Nesse sentido, a pessoa que possui resiliência desenvolve a capacidade de recuperar-se e moldar-se novamente a cada obstáculo, a cada desafio e situações estressantes.
O problema de estresse profissional está presente nos mais distintos níveis hierárquicos, em empresas de todos os portes e se intensifica à medida que aumentam as responsabilidades, cobranças, pressão laboral, competitividade, jornada de trabalho estafante, entre outras características muito típicas do mundo atual. Estas são algumas das situações onde a resiliência é fundamental para a recuperação e “amoldamento” após a “deformação” (obstáculo) situacional. As “deformações” podem gerar doenças psicossomáticas.
Dentre as diferentes doenças psicossomáticas que se manifestam nos indivíduos que não possuem resiliência, estão: o estresse; a gastrite; a síndrome do pânico; doenças intestinais, hipertensão arterial, entre outros males. Mas, é possível mantermos a qualidade de vida e o equilíbrio emocional treinando a nossa capacidade de desenvolver a resiliência.
Algumas sugestões para aumentar a capacidade de resiliência:

  • Mentalizar seu projeto de vida, ainda que tenha que esperar para colocá-lo em prática (sonhar com seu projeto é confortante e reduz a ansiedade);
  • Aprender e adotar métodos práticos de relaxamento e meditação;
  • Praticar esporte para aumentar o ânimo e a disposição (exercícios aumentam endorfinas e testosterona que proporcionam sensação de bem-estar);
  • Procurar manter o lar em harmonia, pois este é o "ponto de apoio para recuperar-se”;
  • Aproveitar parte do tempo para ampliar os conhecimentos, pois isso aumenta a autoconfiança;
  • Transformar-se em um otimista incurável, visualizando sempre um futuro melhor;
  • Assumir riscos (ter coragem);
  • Tornar-se um "sobrevivente" repleto de recursos no mercado profissional;
  • Apurar o senso de humor (desarmar os pessimistas);
  • Usar a criatividade para quebrar a rotina;
  • Examinar e refletir sobre a sua relação com o dinheiro;
  • Permitir-se sentir dor, recuar e, às vezes, enfraquecer, para em seguida retornar ao estado original.
 

PARA ASSOCIAR- SE

PARA ASSOCIAR- SE

Valor da anuidade 284,00.

Clique aqui p prencher cadastro e as condicoes p pagto.

JUSTIÇA DECRETA

JUSTIÇA DECRETA: QUEM NÃO CONTRIBUIR

COM O SINDICATO, NÃO TERÁ DIREITO

AOS BENEFICIOS DO ACORDO

Clique aqui para ler a integra

CONSULTE FGTS

consulta-saldo-fgts

Av. Nove de Julho, 40 - 6º andar - Conj 6F e 7º andar Conj 7G- CEP: 01312-000 - São Paulo - SP - Tel.: 11 3242-0911 - Fax: 11 3237-1080